Início Editoras Parceiras Blogs Parceiros Autores Parceiros Contato undefined

14 de ago de 2012

Resenha: Jurema das Matas - Mônica de Castro

Informações:
  • Autora: Mônica de Castro
  • Editora: Vida & Consciência (cortesia)
  • Páginas: 368
  • ISBN: 9788577221837
Sinopse: A escritora espiritualista Mônica de Castro, autora de inúmeros best-sellers, lança agora seu 15º romance pela Editora vida & Consciência, em que resgata a história de uma das mais importantes entidades da Umbanda, a cabocla Jurema, responsável por transmitir coragem e energia a quem necessita. Em 'Jurema das Matas', Mônica de Castro narra as quatro encarnações que a precedem, mostrando o quanto a simplicidade e a franqueza são fundamentais para que as pessoas não se iludam com falsos valores de conquista e de poder. Da trajetória sangrenta e sofrida, surge uma criatura dócil e infinitamente sábia, disposta a compensar seus desequilíbrios com o auxílio desinteressado aos irmãos de caminhada que formam a família humana.

Resenha: O livro Jurema das Matas é o segundo da autora que leio e foi, assim com o primeiro, um dos melhores livros do gênero espírita que já li até hoje. Porém, diferente daquele, este não foi um deles por algum tipo de mistério que eu desejava logo desvendar e sim por ter mostrado ao invés de apenas uma, quatro encarnações de uma mesma alma.
 
Com certeza o fato de podermos observar com clareza as evoluções do mesmo espírito em diversas existências é um dos pontos mais fortes do livro. Vemos como alguém egoísta em certa vida e com um alto desejo de vingança pode, em alguma outra encarnação, sofrer tudo o que causou a terceiros e como isso serve de ensinamento, ajudando no crescimento interior de cada um. Além disso, mostra com maior clareza para nós, leitores, como nossas amizades ou inimizades podem não ser apenas frutos desta vida e sim laços de várias outras encarnações que carregamos, os quais não podemos mudar e sim tentar sempre melhorar.
 
Das quatro histórias que o livro nos apresenta a mais dinâmica e interessante é, sem sombra de dúvidas, a segunda. Esta nos conta a história de Aracéli, uma índia que passa por diversas dificuldades durante sua passagem pela Terra apesar de já ser um espírito mais sábio do que foi na encarnação anterior, e isso é algo que consegue mexer com os leitores. Temos uma mistura de sentimentos como pena, tristeza e até raiva pelo que lhe ocorreu durante toda a leitura e isto é o que acaba sendo o diferencial desta história em relação às outras.
 
Por outro lado, existiu uma dessas tramas que não me agradou tanto quanto as outras três: a última, simplesmente por ter sido uma história mais calma, focando mais na já conquistada sabedoria das almas. Deu sim um belo desfecho para os personagens que em outras vidas foram tão machucados, mas foi a mais monótona de todas e consequentemente a mais cansativa, apesar de não ter sido a mais extensa.
 
Resumindo, foi um livro diferente do que eu esperava por estar acostumada àqueles que nos mostram uma só história com apenas um personagem que, apesar de também sofrer as consequências do passado, não temos um grande envolvimento na sua vida anterior como temos neste. E isso foi o que tornou o livro único e o que me deixou mais empolgada com a leitura.

Nota: ☻☻☻☻☺ (Muito Bom)

10 comentários:

  1. Não gosto muito desse gênero, então sei que não vou ler provavelmente. O livro em si até que parece bom para o gênero dele, mas como já disse, não vou ler, então fico só na resenha mesmo, só para conhecer.

    ResponderExcluir
  2. Oi Dessa!
    Você não é a primeira que vejo falar bem desse livro! Achei interessante isso de mostrar quatro vidas, dá uma boa ideia da questão da evolução.
    Espero poder lê-lo um dia!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Dessa, acho que de livros puramente espíritas, só tive a oportunidade de ler um até hoje que, a propósito, continha uma história e uma mensagem muito belas. Acho que a característica mais marcante neles é justamente esse perdão próprio, esse reencontro consigo numa realidade paralela... E são amores eternos, laços que nunca se desfazem, além de toda uma rede que nos liga, de alguma maneira.
    Não imaginei que "Jurema das Matas" tivesse essa temática, mas gostei de tudo o que você retratou em sua resenha e, como no momento ando bem democrática, acho que leria facilmente. hahaha
    Beijo!

    ResponderExcluir
  4. Oi Andressa,
    Não tinha ouvido falar deste livro ainda, mas me encantei pela sinopse e por sua resenha pois acho que um livro diferente como este, mostrando diversas encarnações, pode ser um ótimo pedido de leitura.
    Ótima resenha!
    Beijos,

    Thamires - Laço de Cetim

    ResponderExcluir
  5. Já tinha visto a capa do livro várias vezes, mas não sabia do que se tratava. Apesar de não ser de meu estilo de leitura favorita, gosto muito de livros espíritas, acho que sempre vem com belas mensagens.
    Adorei saber um pouquinho mais sobre o livro, parabéns pela resenha.

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Dessa, minha mãe (como sempre digo) que lê muito espiritas. Ela adora a autora, mas ainda não tem esse. Qualquer hora vou pegar um emprestado com ela.
    Beijão!

    ResponderExcluir
  7. Olá :)
    Hum...parece ser um livro diferente.
    Gostei da resenha,seria um desafio ler >.<

    Beijos e tenha um excelente final de semana
    Cuide-se

    RIMAS DO PRETO

    ResponderExcluir
  8. Oi Andressa!

    Já li algumas resenhas desse livro, mas não lembro se li essa parte dele ter quatro histórias. Ainda não senti vontade de ler ele, quem sabe mais a frente..

    Beijos :D
    Ensaios de uma Leitura

    ResponderExcluir
  9. Muito bom quando um livro nos impreciona né?? Eu adoro melhor que aquele que a gente esperava um monte e não acontece nada!!

    Bjs

    ResponderExcluir