Início Editoras Parceiras Blogs Parceiros Autores Parceiros Contato undefined

29 de fev de 2012

Resenha: Para Sempre Ana - Sergio Carmach

Informações:
  • Título Original: Para Sempre Ana
  • Autor: Sergio Carmach (cortesia)
  • Editora: Caravansarai
  • Páginas: 336
  • ISBN: 9788589862516
Sinopse: Na mística Três Luzes, o leitor percorre inicialmente três momentos afastados no tempo, onde três homens, de três gerações da família Rigotti, experimentam situações-limite pela influência de uma mesma mulher: Ana. A partir daí, a narrativa o leva a uma instigante viagem, nem sempre linear, entre meados do século XX e o início do XXI, na qual os dramas, o passado, o verdadeiro caráter e os segredos de cada personagem são pouco a pouco desnudados. A trama é conduzida pela busca de Ana e pela busca por Ana, forasteira misteriosa que abala os triluzianos e cuja trajetória se funde à dos demais em uma história carregada de luzes e sombras. A busca de Ana arrebata as emoções; a busca por Ana arrebata os sentidos. E ambas surpreendem. Sempre que tudo parece esclarecido, detalhes antes considerados sem importância provocam uma reviravolta geral na história. Até o último capítulo.

Resenha: Já tinha visto em alguns blogs resenhas do livro Para Sempre Ana e sempre tive vontade de conhecer a obra do autor nacional Sergio Carmach. Tendo agora lido o livro, posso afirmar o potencial de nosso autor, que conseguiu uma trama que envolve bastante o leitor, algo difícil em muitos livros que já li. Ele conseguiu com que eu entrasse completamente na história, que contém uma mistura muito bem empregada de romance e mistério. Me senti ligada com os personagens de uma forma especial, torcendo para que tudo se resolvesse e que esses mistérios fossem logo desvendados.

A história começa com três momentos diferentes que aguçam nossa vontade de saber sobre o transcorrer de cada uma. O primeiro ocorre em 2011, onde um garoto está a procura de sua mãe desaparecida. O segundo se dá em 2000, onde um detetive de Três Luzes, cidade onde se passa toda a história, encontra um de seus presidiários morto, através de suicídio. O último, afinal, se passa em 1993, onde uma garota aparece com um filho nos braços, revelando a todos que Carlos Rigotti é o pai. Também é dividida em três partes, onde na primeira são introduzidas quase todas as tramas principais deixando a maioria dos mistérios no ar, na segunda Ana conta sua história, e a terceira abrange tanto a parte do suicido na cela, quanto à do garoto e sua busca.

Algo interessante quanto à trama é que em momentos no meio da história podemos pensar que todos os mistérios já foram desvendados e que a partir daí a história só se ajeitará. Não podemos perceber o quanto estamos enganados, já que uma vez alguns desvendados o autor consegue encaixar mais temas ainda não esclarecidos e que só o serão nos últimos capítulos.

O que talvez tenha me incomodado um pouco, mas que possui seu lado bom é a forma como o autor narra a trama. É muitas vezes utilizado um vocabulário um pouco mais formal ao que estou acostumada a ler, tornando a leitura um pouco mais lenta, já que algumas palavras até desconhecia. O lado bom disso é podermos aprimorar nossa linguagem, um pouco limitada nos dias atuais.

A personagem que me mais me agradou, não por ser a principal, mas sim por mostrar uma fortíssima personalidade e quase todos os medos e anseios de uma mulher, foi Ana. Com certeza foi a personagem mais complexa do livro, e a que mais consegue ensinar algo não só ao leitor, como aos próprios personagens. Uma mulher que consegue amar e perdoar sem se sentir forçada a isso, e de coração. Quanto aos outros personagens, pude perceber um crescimento na personalidade de cada um deles, tanto primários como secundários. Um amadurecimento real, que ganha forma junto com o tempo da narrativa.

O modo como acontece o desfecho da história me deixou muito surpresa. Sergio mistura muito bem os três primeiros momentos do livro em uma trama única, que abrange todos os personagens, mesmo que às vezes de um modo indireto. Foi um final que eu não esperava em momento nenhum, já que antes o autor passa uma idéia de algo completamente diferente.

Com uma história que conseguiu me fazer sentir uma variável de sentimentos diferentes, como curiosidade, alegria e emoção, Sergio conseguiu elaborar uma magnífica história. Agradeço à ele a oportunidade de ler o livro, e com certeza recomendo a leitura!

Nota: ☻☻☻☻☺ (Muito Bom)

15 comentários:

  1. Oi, Andressa!
    Já quero ler Para Sempre Ana há um bom tempo, devido os vários comentários positivos.
    Ultimamente matei minha saudade de ler um drama brasileiro, mas este é um livro que quero ler ainda esse ano.
    Eu gosto de protagonistas de personalidade forte, também! Ah, e o desfecho é uma das coisas mais importantes; tem que ser bem feito mesmo.
    Enfim, bjs, Andressa!

    ResponderExcluir
  2. Oi Dessa!
    Pois é, eu também amei o livro e me encantei com toda a trama criada pelo Sérgio, achei incrível como ele conseguiu criar uma história tão densa, complexa e, ao mesmo tempo, cativante ao extremo.
    A Ana realmente é a melhor personagem de todas e me surpreendi não só com o final, mas durante toda a leitura!
    Adorei sua resenha, ficou super completa ^^
    Beijão!

    ResponderExcluir
  3. Oi Andressa!

    Aí você me mata!
    Já sou curiosa pra ler esse livro, e você me escreve uma resenha dessas!?
    Adorei... principalmente por quê você falou dos sentimentos que a leitura te fez sentir!
    Ah, eu que escrevi aquele texto e fiquei feliz que tenha gostado!
    Beijos*

    http://luahmelo.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Acho maravilhoso quando o autor sabe amarrar bem a história, unir personagens e acontecimentos. É essencial! Pela sua resenha, não tenho dúvidas que amaria o livro. Esse misto de sentimentos me conquista.

    Um beijão,
    Pronome Interrogativo.
    http://www.pronomeinterrogativo.com

    ResponderExcluir
  5. Oi
    Sempre lindo boas resenhas em relação a esse livro
    Já conhecia por ver o autor sempre divuulgando no twitter.
    Espero ter a oportunidade de lê-lo algum dia.

    beijos
    Nana - Obsession Valley

    ResponderExcluir
  6. Oi Andressa!
    É tão bom quando os personagens vão evoluindo gradativamente. A trama parece decrescente, então deve haver momentos de flashbacks? A capa do livro é bem legal.

    Beijos :D

    ResponderExcluir
  7. Ei Andressa!
    Nossa, que resenha incrível. Me deixou super curioso para ler Para Sempre Ana.
    Sem dúvida essa coisa a história começar em três pontos diferente aguçou minha curiosidade, quero saber como isso funciona! Como sempre, amei sua resenha. Abraço!

    ResponderExcluir
  8. Ótima resenha.
    O livro parece ser mesmo bem legal... E eu adoroo protagonistas de personalidade forte, também!
    Com certeza esse título irá entrar na minha lista.

    Eu gosto de protagonistas de personalidade forte, também!

    ResponderExcluir
  9. Oi Andressa!
    Tem selinho pra você lá no blog!
    Beijos*

    http://luahmelo.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Oi Andressa!
    O livro é muito bom né?
    Me surpreendi bastante com o livro e embora tenha demorado muito para conseguir pegar um ritmo na leitora, eu o adorei.
    Não gostei muito de Ana, não entendia as atitudes dela e até agora me pego pensando sobre o final da trama. rs

    Beijão
    http://manialiteraria.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  11. Não conhecia este livro,´legal a postagem! :)

    Bjs

    ResponderExcluir
  12. Achei bem interessante a história do livro... Só a capa já vale a pena...
    Att.,
    Luks

    ResponderExcluir
  13. Oi Dessa, adorei a sua resenha do livro! Acho que já havia lido em algum lugar, mas tinha esquecido completamente desse tom de mistério presente em toda a história, coisa que eu adoro em um livro! Fiquei curiosa em relação a ele, [e ótimo saber que surpreende!
    Beijos

    ResponderExcluir
  14. Achei meio complexo como é colocado a estória.. essa coisa de aparecer em 2011, depois em 2002 e tal.. Mas gosto de coisas complexas, AHUAH. Fiquei curiosa!

    Beijos.

    ResponderExcluir
  15. Parabéns pela resenha, Dessa. Ficou muito boa. Já havia lido uma resenha deste livro, eu acho. Não lembrava muito bem sobre o que se tratava. A história parece muito boa. Quanto a questão do uso de uma linguagem mais formal, concordo com você: pode até tornar a leitura mais lenta, mas o leitor acaba aprimorando o vocabulário. A questão dos mistérios que parecem já resolvidos, mas na verdade dentro dele há outro, é algo que gosto muito.

    Mateus Noremberg - Livros Preciosos

    ResponderExcluir